Livro: “Exílio e exclusão política no mundo antigo: De roma ao reino godo de tolosa (SÉCULOS II A.C. – VI D. C.)”

O estudo sobre o exílio na Antiguidade revela um tema que merece atenção da parte dos especialistas em Ciências Humanas e em particular dos historiadores, na medida em que a sua abordagem encontra-se integrada a um objeto maior de pesquisa que envolve as mobilidades humanas, involuntárias e voluntárias. O livro Exílio e exclusão política no mundo antigo: De Roma ao reino godo de Tolosa (séculos II a. C. – VI d. C.) tem como objetivo analisar o conceito de exílio aplicado na documentação romana das épocas helenística e tardia, envolvendo também a primeira monarquia romano-bárbara estabelecida nos territórios romanos ocidentais, o reino godo de Tolosa (séculos V e VI). Distinto da ideia de fuga, o exílio era uma penalidade legalmente reconhecida, escolhemos como foco de estudo os casos específicos de exílios motivados por causas políticas consideradas como crimes contra as autoridades imperial e régia. Assim, o exílio aparece como autêntico mecanismo de castigo e de exclusão política aplicado aos acusados de cometerem algum ato danoso ao detentor do poder político fosse o imperador, fosse o rei.

Clique aqui para acessar o site da editora.

Livro “As mobilidades e as suas formas na Antiguidade Tardia e na Idade Média”

O livro “As mobilidades e as suas formas na Antiguidade Tardia e na Idade Média” (Organizadores Renan Frighetto, Gilvan Ventura da Silva e Marcella Lopes Guimarães) é resultado do Seminário do mesmo nome realizado em 2017 e que contou com a participação de vários professores vinculados a grupos e núcleos de pesquisa que desenvolvem suas investigações no lapso cronológico estabelecido entre os séculos III e XV.

Clique aqui para acessar o site da editora.

Doutoranda Andréia Rosin, pesquisadora do Núcleo de Estudos Mediterrânicos, realiza Doutorado Sanduíche na Universidade de Bologna, na Itália

A doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná e pesquisadora do Núcleo de Estudos Mediterrânicos (NEMED/UFPR), Andréia Rosin, realiza entre os meses de abril e junho de 2019, Doutorado Sanduíche na Universidade de Bologna, na Itália.

Sob orientação dos professores doutores Valério Lieto Salvatore (Università di Bologna) e Renan Friguetto (Universidade Federal do Paraná), a pesquisa é voltada à Tardo-Antiguidade Cristã no espaço romano, buscando analisar o conceito de Ecclesia mo pensamento do erudito Jerônimo de Stridon (IV-V), especialmente a partir da sua Crônica.

Pesquisadora do Núcleo de Estudos Mediterrânicos realiza estágio de pesquisa em universidade da Espanha

No mês de Janeiro de 2019, a docente Renata Cristina de Sousa Nascimento , do curso de História da UFJ, realizou um estágio de pesquisa na Universidade de Oviedo (Astúrias-Espanha), onde teve a oportunidade de se dedicar ao estudo que tem realizado nos últimos anos, relacionado às relíquias cristãs medievais, e que resultou na publicação de artigos e participação como coautora em dois livros sobre o tema. 

O resultado mais direto do estágio, segundo Renata, será a produção de um livro sobre os usos políticos e espirituais das relíquias, dando ênfase às relações entre as sacralidades ibéricas e o poder político. O livro está sendo escrito em coautoria com a professora Drª. Maria Raquel Alonso Álvarez, importante e destacada especialista no estudo das relíquias ibéricas, com publicação prevista para o primeiro semestre de 2020. O título provisório é: A Tradição Ibérica de Santidade: Vivências Religiosas na Idade Média.

“Na Universidade de Oviedo minha tutora/supervisora foi a Drª Maria Raquel Alonso Álvarez. Nesta oportunidade consegui uma boa quantidade de fontes primárias e bibliográficas, fundamentais ao aprofundamento das investigações. Para além da coleta de fontes e convívio intelectual estive por três vezes na Igreja de São Salvador (Catedral de Oviedo), analisando as relíquias ovetenses. Destas destacam-se a Arca Santa e o Sudário de Oviedo, ícones das relíquias medievais; estes ainda são considerados objetos de devoção e de destaque para a cristandade. No dia 24 de janeiro, proferi na Universidade de Oviedo uma conferência intitulada O Lignum Crucis em Portugal: Uma Relíquia de Prestígio (Séculos XIII e XIV).” (Renata)

É necessário destacar que a oportunidade foi fundamental para uma aproximação concreta entre as universidades envolvidas, através de possíveis trabalhos conjuntos entre as pesquisadoras e seus respectivos grupos de pesquisa.


Fonte: ASCOM; Renata Cristina de Sousa Nascimento